“ERA BOM SE EU PUDESSE TE ATINGIR, À ESSA HORA VOCÊ ESTARIA NA MORGUE”

Estas foram literalmente as palavras de um agente da ordem pública da P.N, à um jovem motorista!

O agente completamente embriagado fazia ronda na zona da Camama nos arredores do bairro Iraque, em companhia de mais um colega, cujos nomes não tivemos acesso!

Tudo aconteceu na segunda-feira 10, às 18h20, quando um jovem de aproximadamente trinta anos de idade (que pede anonimato) seguia em direção a sua residência, no bairro Iraque, numa viatura de marca “Suzuki” cujas imagens fazem referência, depois de ter cumprido com as suas atividades laborais. A aproximadamente 20 metros de sua residência e numa zona sem iluminação, o mesmo terá sido interpelado por dois agentes da ordem pública da P.N, que o identificaram e solicitaram a sua documentação pelo facto do jovem motorista não ter feito uso do cinto de segurança enquanto conduzia. O jovem motorista, preocupado com o estado de embriaguez em que se encontrava o agente, rejeita entregar, colocando a hipótese de extravio, atendendo o estado lastimável (bêbado) do referido agente.

O motorista, depois de se justificar, calmamente seguiu a sua marcha, pelo que foi surpreendido com “seis disparos”, pelo que em nada pensou terem sido feitos diretamente para a sua viatura. Ao chegar à casa, terá sido advertido pela sua esposa que sentia cheiro de combustível, o certo é que uma das balas perfurou o depósito da viatura, outra num dos pneus do lado esquerdo, o banco de trás e uma sombrinha que se encontrava no porta mala da viatura, como as imagens fazem referência, uma vez mais!

O que me preocupa não foram os danos causado à viatura, mas sim a VIDA deste cidadão que esteve perto de conhecer a morte, apesar de não ter tido a melhor atitude, em arrancar a viatura, mas sim a falta de prudência, de ética e o grau de irresponsabilidade do agente, que de forma injustificável fez seis (6) disparos à um jovem indefeso apenas porque não se lhe deu a oportunidade de extorquir o seu dinheiro.

Mas afinal quem deve interpelar os automobilistas são os agentes da ordem pública ou agentes de trânsito?

Os agentes da ordem pública podem interpelar automobilistas em zonas escuras e em que circunstâncias?

Terá tido o agente a atitude certa (os seis disparos) naquela situação?

Deve um agente da ordem pública, fazendo-se acompanhar de uma arma de fogo, trabalhar embriagado?

A verdade é que o famoso cancro social, a corrupção e o fenómeno (gasosa), ainda vão continuar a ceifar muitas vidas inocentes neste país!

POR FAVOR, à quem de direito, reestruturem e capacitem melhor os quadros da polícia, sobretudo os agentes da ordem pública e paguem salários dignos à estes profissionais, porque eles merecem, para evitarmos situações semelhantes!

Juntos somos mais fortes!

Não a violência!

Fonte: Cláudio Renato, no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.