CABINDA: ASSOCIAÇÃO DENUNCIA PLANO DE MORTE

Compartilhe

Íntegra da denúncia pública feita pela ADCDH sobre planos de assassinato de activistas pelos Direitos Humanos em Cabinda, dentre os quais o advogado Arão Bula Tempo (foto em destaque).

 

ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA DOS DIREITOS HUMANOS – ADCDH

Assunto: Denúncia

Alguns activistas e alguns independentistas estão próximos da morte, segundo uma fonte da Segurança do Estado.

Arão Bula Tempo, activista que nos últimos cinco anos vem assumindo uma posição em detrimento das violações dos direitos humanos promovidas pelo Governo do MPLA – há 42 anos – tem conquistado opiniões nacional e internacional por conta do seu empenho pela defesa dos direitos do Povo de Cabinda, reivindicando a sua identidade.

Com os avanços dos tempos, tem-se tornado numa das figuras mais proeminente e numa das vozes mais sonante na Política do Enclave. O nome deste e do Alexandre Kuanga Nsito – estudante de Direito e Presidente da Associação para o Desenvolvimento da Cultura dos Direitos Humanos (ADCDH) – constam da lista de homens seleccionados para o extermínio da alma pela Segurança do Estado. Para além desses, se encontram, também, na mesma lista, nomes de quatro (4) dos independentistas que residem nos Congos. Dentre os quatro, está o Certeza, independentista que vive no Congo Brazzaville. Conforme a fonte, já foram localizados o sítio onde ele vive, trabalha e onde a sua esposa vende.

Por detrás dessa acção (caça-homens) estão alguns supostos defensores do Povo Cabinda, que, a qualquer ocasião, poderão os seus nomes vir à tona.

 

Associação para o Desenvolvimento da Cultura dos Direitos Humanos (ADCDH)

E-Mail: adcdhumanos@gmail.com | Facebook: adcdh Direitos Humanos em Cabinda.

Tel: 915162977_931713396_927505176_913361570_Cabinda_Angola.

Linhas Orientadoras: Direito, Justiça & Liberdade

Leave a Reply